"Pedra, papel, tesoura: monotipias de Adriana Moreno"
18 de Maio a 16 de Julho 

A Galeria PILAR apresenta a primeira exposiçao individual da artista Adriana Moreno. Essa serie inédita é composta por 18 monotipias em grande formato, 1x1m, e foram realizadas a partir do final de 2020. Para a exposição foram selecionadas 08 obras compondo um conjunto com forte apelo gráfico e simbólico. 

“Jogos surrealistas, é claro, pressupunham alheamento da realidade vivida e dispêndio de energias não-produtivas em prol de atividades com um fim em si mesmas, desprovidas de viés utilitário. “Pedra, papel, tesoura”, por sua vez, não é exatamente um exercício lúdico, mas uma ferramenta de decisão em situações incontornáveis. Quem merece o último pedaço de pizza? “ 
Trecho do texto de Janaina Nagata  desenvolvido para a exposição.

_MG_0948.jpg
_MG_0996b.jpg
_MG_0951.jpg
_MG_0957.jpg

Vistas da exposição na Galeria PILAR

Adriana Moreno nasceu em São Paulo onde vive e trabalha. Artista visual graduada pela Universidade de São Paulo (USP), onde atualmente realiza pesquisa de doutorado em Poéticas Visuais. Durante sua formação, realizou intercâmbio acadêmico na Universidad Nacional Autónoma de México. Participou do Programa de Exposições do MARP (Museu de Arte de Ribeirão Preto), da exposição Tendências do livro de artista no Brasil: 30 anos depois no Centro Cultural São Paulo e do Salão de Arte Contemporânea Luiz Sacilotto. Em 2016 participou de uma residência artística no Centro de Artes La Ceiba Gráfica, no México. Em 2020 foi premiada pelo edital emergencial do Itaú Cultural, Arte como Respiro. Em 2021 foi indicada ao 15º Prêmio Pipa e é finalista no 1º Prêmio Marcello Grassmann de artes gráficas, além de realizar sua primeira exposição individual na Galeria Pilar em São Paulo. 

_MG_10392b.jpg

Montagem da exposição

Sua pesquisa circunscreve o universo do desenho e das artes gráficas. De modo geral, parte de imagens do universo cientificista e arqueológico, numa tentativa de organizar esses signos. No entanto, os processos são dirigidos pela contingência das matérias envolvidas, de maneira que esse aparente controle ou planejamento proposto acaba frustrado pelo próprio material. Os trabalhos procuram refletir sobre a relação entre corpo e linguagem através do desenho, da imagem e da convenção simbólica da linguagem. De materialidade um tanto turva em que não se pode garantir o controle completo do processo, procura o sentido de uma imprecisão instável à contundência da língua. 

_MG_1032.jpg

Montagem da exposição

_MG_1033.jpg

Vista da Exposição

“”A mão é quem conduz os lances na monotipia, uma técnica em que controle e acaso, domínio e acidente, sorte e azar andam juntos, como em um jogo. O procedimento consiste em besuntar (ou lambuzar) uma chapa de alumínio com tinta espessa para formar uma imagem, diluindo a pasta viscosa sempre quando necessário. Entintada a chapa, chega o momento de submeter a mistura ao toque da prensa, posicionando-a contra um papel que recebe e absorve a tinta, formando uma impressão. O campo de possibilidades de manuseio é relativamente restrito, mas os resultados são virtualmente inesgotáveis: em uma monotipia, à diferença do que ocorre em técnicas de gravura convencionais, cada imagem é, paradoxalmente, uma “cópia única”, o arremate de um acontecimento - ou de uma conjunção de fatores -  impossível de repetir. “  Trecho do texto de Janaina Nagata especialmente desenvolvido para a exposição.

Bagos | 2021 | Monotipia sobre papel filtro neutro 250g | 100x100cm

 Jarro | 2020 | Monotipia sobre papel filtro neutro 250g | 100x100cm

Palma | 2020 | Monotipia sobre papel filtro neutro 250g | 100x100cm

 Jaca | 2020 | Monotipia sobre papel filtro neutro 250g | 100x100cm

 Mamão | 2020 | Monotipia sobre papel filtro neutro 250g | 100x100cm

 Papel | 2020 | Monotipia sobre papel filtro neutro 250g | 100x100cm

 Fruta-pinha | 2021 | Monotipia sobre papel filtro neutro 250g | 100x100cm

 Pedra | 2020 | Monotipia sobre papel filtro neutro 250g | 100x100cm

Outras obras desenvolvidas pela artista

tudo joia - montagem.jpg

Sem título | 2018-2019. (Série: A forma má) | Litogravuras | 76x58cm

Sem título | 2018-2019. (Série: A forma má) | Litogravuras | 76x58cm

Sem título | 2018-2019. (Série: A forma má) | Litogravuras | 76x58cm

Sem título | 2018-2019. (Série: A forma má) | Litogravuras | 76x58cm

Tesoura 2 | 2020-21 | Monotipia | 100 x 100 cm

Tesoura | 2020-21 | Monotipia | 100 x 100 cm

Para conhecer mais o trabalho da artista:

Texto exposição
Revista Continente

 

G A L E R I A    P I L A R

Diretor: Elisio Yamada
Rua Barão de Tatúi, 377 (entrada pelo ZUD Café)

Visitação mediante agendamento.
Terça-Sexta das 11 as 17h - Sáb (agendamento)

Contatos:  info@galeriapilar.com | Instagram: @galeriapilar

 

Tudo joia, 2020 Monotipia 12 partes de 60x60cm